Autor: Programa Bolsa da Família

Cadastro Auxílio Brasil

Popularmente conhecido como “novo Bolsa Família”, o Auxílio Brasil foi anunciado pelo governo em outubro de 2021 e deve começar a ser pago aos beneficiários em novembro.

O valor das parcelas deverá contar com um reajuste mínimo de 20% em relação ao que é pago no Bolsa Família. Atualmente paga-se, em média, R$ 189. A previsão, portanto, é subir para R$ 226,80 e com o valor do “benefício transitório”, chegar a R$ 400,00 por parcela.

Auxílio Brasil quem tem direito

O atual programa do Bolsa Família abrange cerca de 14,6 milhões de beneficiários. O número do Auxílio Brasil deve superar 17 milhões, segundo previsão do ministro da Cidadania, João Roma.

Podem se beneficiar com o programa, as famílias em situação de pobreza (renda por pessoa entre R$ 89,01 a R$ 178,00) ou extrema pobreza (renda por pessoa de até R$ 89,00 por mês) e que tenham em sua composição gestantes, mães que amamentam, crianças ou adolescentes entre 0 e 21 anos. Essas regras são similares ao Bolsa Família.

Veja os principais critérios que podem ser aplicados também ao Auxílio Brasil:

  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos.

Outros critérios do Bolsa Família também devem permanecer para o Auxílio Brasil, veja quais são:

  • Crianças e adolescentes com idade escolar (entre 6 e 15 anos) devem ter, no mínimo, 85% de presença nas aulas;
  • Os jovens entre 16 e 17 anos, a frequência mínima exigida é de 75%;
  • Crianças menores de 7 anos precisam estar com as vacinas em dia e devem comparecer ao posto de saúde para realizar o monitoramento e o acompanhamento do crescimento;
  • Gestantes devem comparecer às consultas de pré-natal e participar de atividades educativas ofertadas pelo Ministério da Saúde sobre aleitamento materno e alimentação saudável;
  • Acompanhamento de saúde das mulheres que possuem 14 a 44 anos de idade.
Clique aqui para ler o post completo

Auxílio Brasil 2021: como funciona

Foi anunciado em 20 de outubro, pelo ministro da Cidadania, João Roma, que o Auxílio Brasil começará a ser pago em novembro de 2021. De acordo com o ministro, haverá um aumento no número de famílias contempladas, de 14,7 milhões para algo próximo a 17 milhões, zerando a fila do programa em dezembro.

Substituto do Bolsa Família, o novo plano assistencial prevê uma série de novidades nos pagamentos e terá um reajuste de 20% nos valores pagos aos beneficiários.

Atualmente, o repasse médio mensal do Bolsa Família é de R$ 189,00. Com o aumento de 20% sobre esse valor, o valor médio dos pagamentos ficaria estabelecido em R$ 226,80.

Além disso, João Roma explicou que o governo quer pagar, entre novembro de 2021 e dezembro de 2022, um “benefício transitório” para que cada família receba, no mínimo, R$ 400 mensais somando os dois benefícios.

Auxílio Brasil quem tem direito

O atual programa do Bolsa Família abrange cerca de 14,6 milhões de beneficiários. O número do Auxílio Brasil deve superar 17 milhões, segundo previsão do ministro da Cidadania, João Roma.

Podem se beneficiar com o programa, as famílias em situação de pobreza (renda por pessoa entre R$ 89,01 a R$ 178,00) ou extrema pobreza (renda por pessoa de até R$ 89,00 por mês) e que tenham em sua composição gestantes, mães que amamentam, crianças ou adolescentes entre 0 e 21 anos. Essas regras são similares ao Bolsa Família.

Veja os principais critérios que podem ser aplicados também ao Auxílio Brasil:

  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos.
Clique aqui para ler o post completo

Calendário Bolsa Família 2021

Quem possui direito aos benefícios sociais oferecidos pelo Governo Federal precisa estar sempre atento aos calendários de pagamentos com o objetivo de não perder as datas e acabar ficando sem receber o valor do mês.

Isso não é diferente no caso do Bolsa Família.

Sendo assim, todos os beneficiários desse programa devem conhecer o calendário do Bolsa Família 2021 a fim de sacar o valor no período correto e evitar problemas.

Afinal de contas, caso o saque não aconteça no período estipulado pelo governo em um determinado mês, o valor não acumula no mês seguinte.

Dessa forma, a família realmente deixa de receber uma quantia que ajuda ela a ter uma qualidade de vida melhor.

No decorrer deste conteúdo você irá entender um pouco mais sobre esse benefício, além de ficar por dentro do calendário do Bolsa Família.

Para isso, é só continuar a leitura e ter bastante atenção.


Calendário do Bolsa Família 2021

O calendário Bolsa Família 2021 foi divulgado pelo Governo Federal no início de janeiro. Confira todas as datas atualizadas:

Como é possível perceber, a data marcada para o saque mensal do benefício varia diretamente conforme o último dígito do número do NIS.

Por isso é fundamental estar sempre atento e, com isso, evitar perder o valor em um determinado mês por não ter conhecimento da data de saque.

O importante mesmo é não deixar de ter acesso a essas datas que são realmente importantes para quem recebe o benefício.


Bolsa Família 2021 quem tem direito

Se a sua família já recebe o benefício, fique sabendo que praticamente nada mudará em 2021.… Clique aqui para ler o post completo

Meu CadÚnico

A palavra CadÚnico significa Cadastro Único; veja neste texto o que é necessário para se cadastrar e como consultar Cadastro Único


Cadastro Único Auxílio Emergencial / Coronavoucher

O Senado Federal e a Câmara dos Deputados aprovaram o Projeto de Lei que determina o pagamento do Auxílio Emergencial a cidadãos brasileiros acometidos pelas consequências da pandemia de coronavírus.

Desempregados, trabalhadores informais, MEIs e beneficiários do Bolsa Família terão direito a receber um valor mensal de R$ 600 por até 3 meses (com possibilidade de prorrogação).

Não é obrigatório ter inscrição no Cadastro Único para receber o auxílio, no entanto, quem já estava com seu nome no CadÚnico até 20 de março de 2020 terá as informações utilizadas pelo governo para consultar a renda da família.

Para ver todas as informações sobre o Auxílio Emergencial (Coronavoucher), clique aqui.

Cadastro Único BPC 2020

Em 19 de março de 2020, a equipe econômica do governo federal anunciou a suspensão da exigência do Cadastro Único (CadÚnico) para o recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é destinado a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.

A medida também é válida para o fornecimento do auxílio emergencial de R$ 200 mensais a trabalhadores informais que perderem a renda devido à crise provocada pelo avanço do novo coronavírus no país.

Em relação ao auxílio emergencial, o Ministério da Economia utilizará o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) como base de dados para liberar o benefício.

Para obter o Cadastro Único, é necessário se dirigir a uma unidade do CRAS (Centro de Referência e Assistência Social).… Clique aqui para ler o post completo

Coronavoucher

☞ Quer saber quem tem direito a receber o Auxílio Coronavírus (Coronavoucher)?

☞ Você tem dúvidas sobre o Auxílio Emergencial?

☞ Quer saber passo a passo sobre o Auxilio dos R$ 600,00 ?

Acompanhe neste artigo todas as orientações sobre o Coronavoucher e saiba o que é necessário para receber o valor do Auxílio Cidadão.

O que é “Coronavoucher”?

O Coronavoucher é um dos nomes pelo qual ficou conhecido o Auxílio Emergencial. Tanto Auxílio Emergencial quanto Coronavoucher são a mesma coisa e possuem as mesmas regras.

Como mencionado anteriormente, ele garante uma cobertura financeira de emergência para trabalhadores informais, autônomos e pequenos empreendedores que terão a renda comprometida durante as normas de isolamento para evitar a propagação do coronavírus.

O valor pode variar de R$ 600 a R$ 1.200, e será disponibilizado por três meses.

O que é o Auxílio de R$ 600,00 reais?

Além de Coronavoucher, o Auxílio de 600 reais é o outro nome amplamente utilizado para se referir ao Auxílio Emergencial do governo. Ele ficou conhecido dessa forma em razão do valor do auxílio que será pago aos brasileiros: R$ 600,00 mensais.

Mas é importante ressaltar que Auxílio Emergencial, Auxílio de 600 reais e Coronavoucher são a mesma coisa.

Sendo assim, como já mencionado no texto, o Auxílio de 600 reais é uma forma de distribuir renda emergencial para auxiliar os cidadãos brasileiros a enfrentar os impactos provocados pelo isolamento social durante a pandemia do coronavírus.

Ele será destinado a trabalhadores autônomos, desempregados e microempreendedores de baixa renda.… Clique aqui para ler o post completo